3 benefícios de uma arquitetura de cibersegurança Zero Trust
Juan Blancas
/ Categorias: Blog

3 benefícios de uma arquitetura de cibersegurança Zero Trust

 

Para garantir a proteção dos dados internos e externos, as organizações não devem confiar em nenhuma atividade que possa ocorrer dentro ou fora de suas redes. Neste sentido, a adoção de uma abordagem de segurança Zero Trust atende bem às necessidades de empresas e consumidores, pois soluções como SpeedLine baseadas nesta arquitetura permitem verificar todas as solicitações para acessar suas redes e garantir que sejam seguras.

 

Para tornar o ambiente de TI corporativo seguro, as organizações podem utilizar várias tecnologias e protocolos. Alavancando essas tecnologias de segurança (incluindo IAM (Identity and Access Management), autenticação multifatorial, criptografia, análise, orquestração, pontuação e permissões do sistema de arquivos) o Zero Trust facilita para as empresas ficarem mais vigilantes sobre o acesso às informações, garantindo a segurança dos dados.

 

Com tantos dados sendo coletados todos os dias (90% deles, nos últimos três anos) é importante saber como o Zero Trust ajuda a proteger as informações da sua empresa e os benefícios da sua implementação:

 

1. BAIXA O POTENCIAL DE INVASÃO.

 

O custo médio de uma invasão de dados é de US $ 3,86 milhões, de acordo com um relatório recente do Ponemon Institute e IBM. Isso é demais para uma única violação, e as empresas obviamente se preocupam com essas perdas.

 

Mas e o impacto no cliente? Em alguns casos, violações de dados destruíram a confiança do cliente nas empresas. Embora as pessoas não se preocupem muito com a privacidade em 70% das vezes, o Hotspot Shield - uma das maiores plataformas de privacidade na Internet do mundo - descobriu que os 30% restantes a protegem ardentemente, especialmente se forem informações sobre sua saúde, riqueza e família.

 

Para diminuir o potencial de invasão, o Zero Trust se concentra na carga de trabalho do aplicativo, e não no perímetro ou ponto final. Nesse modelo, a rede verifica continuamente as cargas de trabalho em relação aos estados pretendidos.

 

Sempre que uma carga de trabalho falha em corresponder ao seu estado, sua comunicação com o restante do sistema é interrompida. Qualquer alteração, seja por acidente, uso indevido ou atividade antagônica, é um sinal de desconfiança automática do sistema até que a situação seja corrigida, seguindo as políticas prescritas.

 

Embora isso não signifique que todas as informações estejam completamente seguras com a organização, isso deve proporcionar ao consumidor uma maior tranquilidade.

 

2. PERMITE À ORGANIZAÇÃO MELHOR CONTROLE SOBRE O AMBIENTE DE NUVEM.

 

A segurança da informação não funciona isoladamente. A diferença do passado, quando as empresas tinham data centers corporativos servindo uma pequena rede de sistema, hoje alguns aplicativos são armazenados localmente, enquanto outros estão na nuvem, permitindo o acesso do usuário a partir de diferentes dispositivos, possivelmente de qualquer lugar do mundo.

 

Mas os especialistas em segurança têm uma preocupação sobre a migração e o uso da nuvem - perda de controle. A segurança das informações continua sendo uma responsabilidade compartilhada entre o Cloud Service Provider (CSP) e a empresa cliente. Como resultado, as equipes de segurança não têm tanto controle sobre a rede quanto seria ideal.

 

Focalizando a carga de trabalho em vez de proteger o perímetro, o Zero Trust oferece às equipes de segurança uma capacidade maior de detectar desvios na carga de trabalho, que são fáceis de detectar. Ele foi projetado para permitir que a rede se comunique apenas com as cargas de trabalho verificadas.

 

3. MELHORA A CONFORMIDADE E A CONFIANÇA.

 

Embora as equipes de segurança saibam que a conformidade não reflete necessariamente a segurança das informações na organização, elas sabem o quanto isso importa para os auditores. Auditorias precipitadas podem causar interrupções e enorme impacto financeiro.

 

As auditorias de TI, acima de tudo, são projetadas para expor fraquezas tecnológicas na organização. Quaisquer questões relacionadas aos dados e aos sistemas que os manipulam estão sujeitas a análise. Qualquer falha que a equipe de segurança cole antes da auditoria contribui para um processo de auditoria mais suave e geralmente para uma melhor proteção da rede.

 

Numa arquitetura Zero Trust, não são apenas os auditores, mas também os membros da organização, que podem ver e entender o fluxo de dados da organização à medida que interagem com segurança na rede.

 

Esse nível de transparência aumenta a confiança do consumidor na marca. Eles podem ficar tranquilos, sabendo que suas informações confidenciais estão num ambiente seguro do que em qualquer outro lugar.

 

E aí? Sua empresa já começou a adotar essa arquitetura?

 

Entre em contato com nossos especialistas e solicite uma consultoria gratuita sobre como garantir a proteção de dados críticos, mesmo quando são acessados por dispositivos móveis infectados.

 

 

 

 

Print
213 Rate this article:
5.0

Please login or register to post comments.

x
Loading
  • Assine Nosso Blog